Brincadeira ao contrário

Os amigos de Regolish costumam se reunir, à tarde, debaixo do cogumelo. Adoram conversar - “jogar conversa fora”, como diz a Lazinha.

Tem sempre uma história do Teo sobre suas viagens, alguma dica de livro que o Geo descobriu, ou resultado de algum jogo de futebol que o Kiko assistiu. E sem contar as brincadeiras do Chida, que sempre tem alguma ideia diferente.

Ele inventou o que chama de brincadeira ao contrário: todas as vezes que iniciam as férias, os pequenos saem correndo da escola e se encontram. Deitam, fecham os olhos... dormem de mentirinha... e de repente, todos vão “acordando”, se espreguiçando - o início das férias é a realidade deles; o tempo de escola - fazem com que seja um tempo em que estavam dormindo e sonhando – a vida prá eles, só fica de verdade, nas férias! Só mesmo o Chida prá inventar uma coisa dessas....

Viajam, brincam prá valer, dormem até tarde; quando chega o final do dia, do último dia de férias, reúnem-se, deitam-se... e iniciam um novo período... vão “dormir” até as próximas férias. O início das aulas, as tarefas do dia, a rotina, nem sentirão, pois na sua imaginação, estarão “dormindo e sonhando”!

Há dois novos amigos em Regolish. O Juá e o Geo mudaram-se recentemente para Regolish.

O Juá custou a se aproximar. Mora um pouco afastado e é um tantinho tímido.

O Geo é mais velho da turma do Teo e prefere ficar em casa lendo do que saindo por aí....

Foi a Lazinha, com seu jeito amigável, que conseguiu reuni-los com a turma toda.

E nesses encontros, os pequenos costumam relembrar alguns momentos do ano que passou, para “enturmar” o Geo e o Juá.

 

_ Lembra Zita, quando a gente se conheceu? Perguntou o Chida.

_ Afe, você quase me machucou com uma bolada na cabeça, disse a Zita.

E aí vem a versão do Chida – “ eu estava me divertindo, numa boa, jogando bola sozinho, treinando  passes prá cá e prá lá e de repente, tá ali a Zita, no meio do nada, claro que a bola bateu nela, mas foi sem querer e nem foi tão forte assim...”

NADA DISSO, diz a Zita já irritada. “Eu estava tomando meu lanche, sem incomodar ninguém, bem pertinho de um arbusto, prá ninguém me incomodar e de repente, lá vem a bola – zaz traz grumph, derrubou todo meu suco e quase me machucou! “

“Tá bom, tá bom, mas faltou o quase e pronto! Tá acabada a história,” disse o Chida.

Todos riram. Uns lembrando do dia que aconteceu esse encontro e outros, como o Juá e o Geo, conhecendo um pouquinho de jeito de cada um dos seus novos amigos.

_ Pois é, cada um tem o seu lado da mesma história, disse a Lazinha.

É muito engraçado perguntar o que cada um acha de alguma coisa que aconteceu. Ninguém conta do mesmo jeito, ninguém percebe da mesma forma.