Cadê a Lazinha?

E não é que a Lazinha - sempre tão organizada, com agenda, programações e tudo - de repente, sumiu?

Capa cadê a Lazinha.jpg

E aí Lazinha, cadê você?

Perguntavam seus amigos em frente à casa dela... será que viajou?

Desistiram de esperar por ela e foram brincar, talvez a encontrassem lá.

E a Lazinha estava lá dentro de casa. Quietinha. Nem quis atender seus amigos. Nem ela tinha resposta para o que estava acontecendo.

Uma certa agonia por não estar dando conta de tantas coisas...

As ideias vão surgindo, os amigos vão aumentando; reuniões, trabalhos da escola, visitas a serem feitas, conversas com um e outro, conversas que geram compromissos e a agenda vai ficando tão cheia que mesmo sendo organizada, ela não deu conta. E aí surgiu a agonia.

Até imaginou essa tal agonia assim como um raio paralisante – TCHACABUM... trava tudo. Será que não vou mais conseguir escrever para o Acontece? Será que não vou conseguir estudar?....

E foi assim que seus pais a encontraram...

Conversaram com ela, mostraram que nada grave estava acontecendo; ela só estava cansada e com muitos compromissos.

Ah família! Como é bom ter uma família amorosa onde se pode desabafar, conversar.

Esse apoio conforta. disse ela.

Escutar isso é o melhor que pode nos acontecer disseram seus pais... muito amor envolvido. é isso. Um tempo para uma conversa, gestos simples de afago, nossa! faz a diferença!

E a Lazinha se deu conta de que não adianta ser organizado, ter tudo anotado e agendado. É preciso um tempo pra se distrair - tipo assim - não fazer nada, meio que desligar. A vida não é só compromisso...nada a fazer também faz bem.

E ela foi lá para o quintal, deitou na grama e ficou ali, olhando para o céu... vendo pássaros e imaginando os desenhos nas nuvens - um gato ali, e lá uma flor, olha, agora um elefante e um carro ah hah hah... e nessa calmaria toda dormiu, sonhou, descansou....

De noite, decidiu não ver TV (só notícia chata... TODOS os dias!), leu um livro, curtiu seu quarto e dormiu muito bem. E acordou com vontade de fazer coisas, rever os amigos!

 

E você? Também se sente assim de vez em quando? Ou de vez em sempre?

Ah, um lembrete – família, pode ser pessoas que a gente gosta, os amigos.