Tristeza na Floresta

Os pequenos de Regolish andam meio tristes... não dá nem vontade de ligar a televisão. Tanta notícia triste, que as coisas vão perdendo a cor...

“Uma vontade enorme de chorar... um choro assim de muitas tristezas. Um sufoco, uma falta de ar danada. Um sentimento de tanta tristeza que parece que sou culpada por tudo que está acontecendo”... esses são os pensamentos da Zita, escondidinha, muito triste, depois de assistir na TV às notícias de tantas tragédias- natureza desrespeitada, crianças sem casas, tantos fugindo de guerras e quanta gente raivosa – um acusando ao outro....

Com o Chida não está sendo diferente; sempre tão agitado, tão a mil por hora, de repente ficou muito cansado. Ele que sempre gosta de ir mudando de canal,  muitas coisas ao mesmo tempo, de repente, ficou com uma vontade imensa de dormir; com a sensação de que estava sem a pele, tudo em carne viva. Uma revolta enorme, por tanta falta de cuidado com a natureza; e uma raiva enorme de um monte de gente, falando, opinando, dizendo nada boca afora e não ajudando, só atrapalhando... como é que pode, diz irritado, sem conseguir parar quieto.  

ALGO MUITO ASSUSTADOR ESTÁ ACONTECENDO NA FLORESTA ENCANTADA!

Alguma coisa está mudando... aquele canto sombrio que tem lá num dos lados da floresta... está aumentando... e as cores estão desaparecendo!!!

 

UAU...

 

 

A Lazinha lembrou-se de uma entrevista incrível que havia feito na TV Regolish. Conseguiu até um desenho da entrevistada e divulgou um lindo trecho dessa entrevista com a psicóloga Maria Cristina Ramos Britto

 

 
Psic�loga Maria Cristina Ramos Britto

 

“...a gente tem ouvido tanta notícia ruim, que dá um aperto no coração e uma tristeza que parece que vão nos sufocar, não é mesmo? Mas também acontece tanta coisa boa no mundo, tem um monte de gente plantando árvores, cuidando de bichos e pessoas, desenvolvendo remédios para doenças, que antigamente nos colocavam de cama, descobrindo respostas para problemas que pareciam não ter solução. Às vezes, a gente presta atenção ao que é ruim e vai se esquecendo das coisas boas. E, mais importante: se as pessoas só ficarem pensando no que acontece de ruim, não vão ter força para procurarem um jeito de consertar o que está errado, não é mesmo? O que se tem que fazer é procurar um modo de melhorar o que não está bom e não deixar a desesperança tomar conta do coração. 

 

A Lazinha e o Teo perceberam que cada amigo sente de uma forma diferente o que acontece no dia a dia.  E que os sentimentos de desesperança e raiva provocam isso – perde-se as cores da vida na floresta, mesmo ela sendo encantada!

 

Juntos, com a ajuda de seus pais e professores, começaram um movimento pela ALEGRIA, pela VIDA, colorindo de ESPERANÇA a floresta, pois não adianta nada lamentar ou discutir.

 

E você? Como fica quando só se fala em desgraça e as pessoas parecem que querem avançar umas nas outras na TV?

Já pensou que poderia criar alguma coisa parecida com que os pequenos de Regolish criaram?

 COLORINDO O DIA A DIA

“ESPERANÇANDO”

Você sabia que todos eles podem ser seus amigos? Escreva prá eles!